Cachoeiro lança sistema inédito de informações geográficas

Criado pela Secretaria Municipal de Fazenda, em parceria com a Dataci, o CIgeo é um conjunto integrado de ferramentas que as pastas utilizarão para coletar, agrupar e gerenciar diferentes tipos de dados

Icon
O primeiro núcleo de geoprocessamento será lançado nesta sexta-feira (24)

A prefeitura de Cachoeiro de Itapemirim concluiu o desenvolvimento de sistema integrado de informações geográficas, composto de vários softwares, com a finalidade principal de levar respostas rápidas às mais diversas demandas da população, de modo inovador na administração pública.

Implantado pela Secretaria Municipal de Fazenda (Semfa), em parceria com a Companhia da Tecnologia da Informação de Cachoeiro (Dataci), o CIgeo é um conjunto de ferramentas que as secretarias utilizarão para coletar, agrupar e gerenciar diferentes tipos de informações.

A ideia é que cada uma das secretarias municipais, para realizar todo esse trabalho, conte com um Núcleo de Geoprocessamento. E o primeiro, intitulado “José Ildo Goulart”, será inaugurado nesta sexta-feira (24), às 10h, na sede da Semfa (na rua 25 de Março, Centro), onde funcionará.

O secretário de Fazenda de Cachoeiro, Maurício Daltio, pontua exemplos em que o CIgeo poderá ser aplicado. “Na área do planejamento urbano, será importante para melhorar o mapeamento do uso atual do solo, licenciamento e a fiscalização de obras, dentre outras atividades”, diz.

Já na pasta da qual é gestor, segundo Daltio, serão otimizados serviços como o de manutenção dos cadastros imobiliário, mobiliário, comercial, de logradouros, além dos de geração e atualização da planta genérica de valores, espacialização da inadimplência e da dívida ativa.

“Vale destacar, também, que algumas ações da saúde e do saneamento poderão ser incorporadas ao uso do geoprocessamento para um desenvolvimento melhor, como vigilância sanitária, controle epidemiológico, manutenção de óbitos e nascimentos”, acrescenta.

O uso do geoprocessamento, de acordo com o Secretário de Fazenda, vai auxiliar na solução de vários problemas. “Será possível sabermos qual é o melhor lugar para construir um novo posto de saúde, dentre os terrenos da prefeitura, considerando a densidade demográfica, a renda média e as áreas de abrangência das unidades existentes. Quais são as áreas da cidade não atendidas eficientemente pelo sistema de transporte coletivo considerando, por exemplo, a densidade demográfica e a distância máxima até o ponto ou terminal mais próximo”, explica.